‘Estamos nos preparando para o pior cenário possível’, diz governador do AM sobre 3ª onda de Covid-19 no estado

RN7
0 0

O governador Wilson Lima disse que se prepara para o pior cenário possível no caso de uma terceira onda de Covid-19 no Amazonas. Para ele, é inegável que haverá um novo surto da doença. No entanto, ele não detalhou quais informações serviram de base para a afirmação e disse que o estado já está em contato com especialistas do país e do mundo para mapear quais os possíveis efeitos do novo pico.

A declaração foi dada na manhã desta terça-feira (6), durante um evento de entrega de equipamentos para o combate da malária no estado. Participaram da cerimônia, além do governador, o titular da Secretaria de Saúde, Marcellus Câmpelo, e o diretor-presidente da Fundação de Vigilância e Saúde (FVS-AM), Cristiano Fernandes.

“Eu acredito na possibilidade de uma terceira onda. Quando vai acontecer, eu não sei. Quais as proporções, também não sei. Mas temos procurado técnicos do Brasil e do mundo para que nos apresentem um modelo matemático para que a gente possa ter uma clareza do que vai acontecer nos próximos dias. Eu estou muito preocupado com isso, tenho conversado muito com a Fundação de Vigilância e Saúde e a Secretaria de Saúde para que a gente possa se preparar para o pior cenário possível”, destacou o governador.

Segundo o governador, na segunda-feira (5), houve uma reunião entre representantes do governo e da empresa White Martins, responsável pelo fornecimento e abastecimento de oxigênio no estado. O tema do encontro foi um provável aumento no consumo do insumo com a terceira onda e a possibilidade de estocagem.

Parentes de pacientes internados em Manaus fazem fila para compra de oxigênio no dia 18 de janeiro. — Foto: Bruno Kelly/Reuters
Parentes de pacientes internados em Manaus fazem fila para compra de oxigênio no dia 18 de janeiro. — Foto: Bruno Kelly/Reuters

“Na primeira onda, em 30 dias, saímos de um consumo de 15 metros cúbicos/dia para 30 metros cúbicos. A White Martins produz hoje 36 metro cúbicos/dia. Quando veio a segunda onda, saímos de 15 metros cúbicos para quase 80, em um prazo de 15 dias. A conversa que tivemos foi para saber qual a capacidade de armazenamento que ela [White Martins] tem e para entender como é que a gente vai ter essa quantidade suficiente de oxigênio, caso haja um aumento exponencial dos casos aqui no estado. A White Martins tem a capacidade de armazenamento de 250 metros cúbicos e a gente trabalha também com outras possibilidades”, disse o governador sem detalhar as ações.

No entanto, o governador disse que, por hora, não deve fechar serviços não-essenciais e voltar a decretar medidas mais rígidas em relação à circulação de pessoas. Mas não descartou a possibilidade, caso os números de casos, internações e óbitos pelo coronavírus no Amazonas voltem a subir. Em todo o estado, até a segunda-feira (5), o número de casos confirmados da doença ultrapassou 352 mil. Já o total de vidas perdidas para Covid chegou a 12.107.

“No momento em que tivermos uma tendência de subida dos casos, a gente não tem a menor dúvida das medidas que devem ser tomadas. A questão da restrição do funcionamento de atividades, principalmente aquelas em que as pessoas se expõem mais. Tem flexibilização, pois temos queda no número de casos e capacidade de receber todos os pacientes em unidades hospitalares. E outro detalhe situação social e econômica do Amazonas não nos permite ficar muito tempo fechados. Tem muita gente morrendo de fome, desempregada, perdendo seus empregos. Precisamos encontrar o equilíbrio e é isso que estamos tentando fazer”, afirmou.

 Movimentação de consumidores no centro de Manaus (AM), após retomada parcial do comércio, neste sábado, 27 de fevereiro de 2021. — Foto: Aguilar Abecassis/Photopress/Estadão Conteúdo
Movimentação de consumidores no centro de Manaus (AM), após retomada parcial do comércio, neste sábado, 27 de fevereiro de 2021. — Foto: Aguilar Abecassis/Photopress/Estadão Conteúdo

Espelho para o resto do país, mas que reflete a Europa

O diretor-presidente da Fundação de Vigilância e Saúde do Estado (FVS-AM), Cristiano Fernandes, também falou sobre uma possível nova onda da doença. Ele disse que técnicos do órgão já analisam os prováveis cenários que podem se desenrolar nos próximos meses a partir do que vem ocorrendo na Europa.

“O mundo inteiro tá preocupado com o perfil epidemiológico da doença. A gente olha para Europa e percebe que vários países europeus têm apresentado o recrudescimento da chamada terceira onda. Essa preocupação é traduzida para nossa realidade”, explicou.

FOTO DE 21 DE OUTUBRO: Equipe médica cuida de paciente com Covid em UTI de hospital em Liege, na Bélgica, durante a segunda onda do novo coronavírus na Europa — Foto: Francisco Seco/AP
FOTO DE 21 DE OUTUBRO: Equipe médica cuida de paciente com Covid em UTI de hospital em Liege, na Bélgica, durante a segunda onda do novo coronavírus na Europa — Foto: Francisco Seco/AP

Questionado sobre o motivo pelo qual o Amazonas se baseia nos padrões europeus sobre a pandemia, Fernandes disse que como o estado foi um dos primeiros do país a colapsar tanto na primeira vez quanto da segunda, não consegue ter um padrão dentro do Brasil para seguir.

“Ao contrário dos demais estados, o Amazonas teve o primeiro impacto em março e pico em maio, e o segundo impacto agora em janeiro, então a gente serve de espelho para os demais estados verem o que estava acontecendo e até se preparar. A dificuldade do amazonas é de quem a gente vai se espelhar. A gente tem olhado sempre o comportamento da Europa e a partir daí a gente traduz para a nossa realidade. Pintamos o pior cenário e a partir daí a gente trabalha para que ele não aconteça”.

G1 – AM

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

Vereadores de Envira buscam infraestrutura para o município

Em busca de melhorias para o setor de infraestrutura para o município de Envira (1.216 km de Manaus), os vereadores Astro Bezerra, Moisés Celestino, Romulo Oliveira e Lindomar Silva estiveram reunidos com o secretário da Seinfra (Secretaria de Infraestrutura do Estado do Amazonas), Carlos Henrique dos Reis Lima, na semana […]
%d blogueiros gostam disto: