Com couro de gado pantaneiro, empresária cria 1ª indústria de bolsas de MS: ‘Natureza me inspira o tempo todo’

RN7
0 0

É no quintal da chácara em Rio Negro, na região norte do estado, que a designer e empresária Zanir Furtado, de 44 anos, tem inspirações: desde araras e seriemas que fazem a visita diária, além da beleza da flora, fauna e o pôr do sol que, segundo ela, possui uma beleza única na região. De lá, ela colocou em prática um sonho e gerou empregos com a 1ª indústria de bolsas de Mato Grosso do Sul.

“A natureza daqui me inspira o tempo todo. É só dar uma volta por aqui ou então receber a visita de animais no meu quintal que já penso na parte artística das bolsas. Que eu sabia somos a primeira marca a usar couro do gado pantaneiro inspirada e produzida no Pantanal”, afirmou ao G1 a empresária.

Ainda conforme Zanir, a intenção também é mostrar o potencial do município e também do couro. “Eu nasci em Rio Negro e estava morando há 10 anos em Brasília. Quando surgiu a ideia de diversificar os investimentos, comecei a falar sobre o potencial da minha cidade. O nosso couro é um dos melhores do mundo e então pensei em investir lá, dar empregos na região”, comentou.

Empresária diz que Pantanal é inspiração para a criação das bolsas — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal
Empresária diz que Pantanal é inspiração para a criação das bolsas — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal

Há oito meses, ela diz que não sai da cidade e acompanha passo a passo da produção. Até o momento, foram investidos cerca de R$ 1 milhão para a construção da fábrica, buscar por matéria prima, além da contratação e o treinamento da mão-de-obra.

“Nós estávamos longe de qualquer polo industrial, mas, nunca considerei isso um desafio e sim uma oportunidade. Houve o estudo de viabilidade, de negócio. A parte mais difícil foi da mão de obra. Mas, eu trouxe um casal do Rio Grande do Sul e atualmente estou com 15 funcionários, que já passaram por treinamento. A intenção é, a cada 6 ou 8 meses, dobrar essa mão de obra mantendo o padrão das bolsas de luxo”, explicou.

Além do couro bovino pantaneiro, Furtado fala que pretende expandir a produção com o couro de jacaré, avestruz e peixes. “Continuo me capacitando, agora em janeiro faz um ano de todo o investimento para começar a produzir e dar treinamento para equipe. São bolsas de luxo, algumas pessoas chamam de joia do Pantanal. Tem muito couro que sai daqui, vira bolsa de luxo no mundo todo e ninguém fala nada. Agora, temos um produto nosso, que não perde nada para bolsas feitas fora do país e é da nossa região”, falou.

Bolsas são produzidas em indústria localizada em Rio Negro (MS) — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal
Bolsas são produzidas em indústria localizada em Rio Negro (MS) — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal

Bolsas são produzidas em indústria localizada em Rio Negro (MS) — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal

Por enquanto, de acordo com a empresária, as bolsas estão sendo expostas em um show room na fábrica. “Eu priorizei aqui, porque vejo que muitas pessoas estão felizes trabalhando, todo dia é de encantamento e felicidade por aqui, então, estamos recebendo 5 pessoas por vez para conhecer o nosso processo e receber um brinde ao final. Isso neste primeiro momento, mas, também estamos nas redes sociais”, ressaltou.

Na capital sul-mato-grossense, a empresária diz que, em breve, terá um local para clientes, bem como uma representação em Brasília e Goiânia. “Vamos também colocar um número de WhatsApp. Estamos só dependendo de aumentar o processo de produção. Algumas peças são únicas, as que tinham já saíram quase tudo. As outras também são limitadas, é algo especial mesmo”, finalizou.

Empresária diz que moradores de Rio Negro estão encantados com o novo produto — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal
Empresária diz que moradores de Rio Negro estão encantados com o novo produto — Foto: Zanir Furtado/Arquivo Pessoal

G1 – MS

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

Nascidos em março podem sacar auxílio referente a ciclos 5 e 6

Cerca de 3,6 milhões de beneficiários do auxílio emergencial e do auxílio emergencial extensão nascidos em março podem, a partir de hoje (4), sacar ou transferir os recursos da Poupança Social Digital. De acordo com a Caixa Econômica Federal, R$ 2,4 bilhões foram creditados para esses beneficiários nos ciclos 5 e 6 de […]