Novo prefeito da capital quer opções de transporte para a população e muda tom sobre volta às aulas na pandemia

RN7
0 0

No primeiro dia como prefeito da capital acreana, Tião Bocalom (PP) falou sobre vários temas em entrevista ao Bom Dia Acre desta sexta-feira (1º) e disse que vai anunciar sua equipe completa em um prazo de 90 dias. Parte dos secretários serão apresentados ainda nesta sexta.

posse de Bocalom está marcada para ocorrer às 16h na Câmara Municipal de Rio Branco, junto com os 17 vereadores que assumem o cargo no parlamento mirim para a legislatura 2021-2024.

Com relação à lista de secretários, ele afirmou que dos 11, ao menos oito devem ser nomeados ainda nesta sexta, às 18 na sede da prefeitura. Segundo Bocalom, alguns dos secretários vão assumir, neste primeiro momento, mais de uma pasta.

O prefeito Tião Bocalom Rodrigues tem 67 anos, é casado e tem superior completo. Ele tem um patrimônio declarado de R$ 1.240.000,00. Já a vice Marfisa Galvão (Marfiza de Lima Galvão), do PSD, tem 41 anos, é casada e tem superior completo. Ela tem um patrimônio declarado de R$ 43.000,00.

Transporte público

Questionado sobre o que pretende fazer para resolver o impasse no transporte público da capital, Bocalom afirmou que vai criar novas alternativas e que a população não tem que andar somente de ônibus.

Em dezembro, os motoristas de ônibus chegaram a paralisar as atividades por cinco dias devido aos salários atrasados e pedindo a aprovação de um projeto da prefeitura que previa um aporte financeiro de R$ 2,5 milhões para as empresas de ônibus. O valor seria como suporte devido aos prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus. No entanto, a proposta foi rejeitada pelos vereadores.

“O problema é antigo e infelizmente é uma caixa preta que a gente precisa abrir e não se abre uma caixa preta da noite para o dia. Nós precisamos resolver isso com muito diálogo, conversando com os trabalhadores da área, com a comunidade que precisa e usa o serviço de transporte público, conversando com outras autoridades para que a gente possa chegar a um denominador comum. Quero ser bem claro que não adianta espernear, queremos criar outras alternativas para a população se deslocar das suas casas para ir ao trabalho e andar pela cidade. O caminho é esse e a população que tem que escolher aquilo que é melhor para ela e não dizer que tem que andar só de ônibus”.

Plano de contingência

Com o Rio Acre em Rio Branco marcando mais de 11 metros e se aproximando da cota de alerta, que é de 13,50 metros, os órgãos públicos ficam em alerta para a possibilidade de enchente. O novo prefeito afirmou que sua equipe já está por dentro de toda situação e trabalhando no plano de contingência.

Segundo ele, devido à pandemia, este ano existe um novo desafio no caso de casas serem atingidas pelas águas do Rio Acre e famílias ficarem desabrigadas. Isso porque, em ano anteriores, essas pessoas eram todas levadas para o abrigo montado no Parque de Exposições, com várias barracas instaladas uma ao lado da outra.

Por conta da pandemia, essa estrutura vai precisar ser repensada, de acordo com o prefeito, para garantir o distanciamento sociais e, assim, evitar, a proliferação da Covid-19.

“Já definimos uma equipe, a Defesa Civil está organizando, observando e a equipe está toda pronta. Esse ano vai ser diferente, como estamos na pandemia e por causa do distanciamento social, não pode fazer o que foi feito em anos passados, onde levava todo mundo para o Parque de Exposição, então é um novo desafio e estamos nos preparando para isso, mas tenho muita fé em Deus e na equipe.”

Volta às aulas

Com um tom diferente sobre a volta às aulas durante a pandemia da Covid-19, o novo prefeito afirmou que vai seguir o cronograma de aulas já proposto pela antiga gestão.

Em entrevistas durante a campanha, Bocalom chegou a dizer que era da opinião de que as aulas presenciais tinham que ser retomadas, uma vez que crianças eram menos vulneráveis ao vírus. O pronunciamento na época causou polêmica.

Agora, depois de eleito, o prefeito afirmou que vai respeitar o que determina o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19.

“Essa questão da volta às aulas já foi definida e a gente vai seguir o calendário que será no dia 30 de abril encerra o ano letivo de 2020 e a gente inicia o ano letivo de 2021. Evidentemente que vai depender da evolução da questão da pandemia, mas vamos procurar fazer o melhor possível, o retorno às aulas deverá ser um retorno com 30% dos alunos por vez nas salas de aulas, e todos os cuidados vão ser tomados. Não posso ser o dono da palavra sozinho, nós temos um comitê que cuida dessa questão da Covid e vamos, evidentemente, respeitar e tentar fazer com que algumas ideias que temos novas sejam implementadas, mas quem manda é a maioria e a gente precisa respeitar.”

Recuperação de ramais

Uma das principais bandeiras do prefeito eleito foi a questão dos ramais da capital acreana. E, segundo ele, durante os quatro anos de gestão vai resolver esse problema em Rio Branco, assim como fez em Acrelândia, quando foi prefeito.

Bocalom afirmou que no primeiro deve recuperar cerca de 500 quilômetros de ramais, mas com o apoio do governo do Acre, esse número pode subir para mil quilômetros abertos de inverno a verão.

“Nos quatro anos vamos resolver o problema de trafegabilidade dos ramais em Rio Branco, como já resolvi no município que fui prefeito. Tivemos muitas conversas com o governador, ele está disposto a ajudar com equipamentos, estamos comprando quantidade grande também com emenda do senador Petecão. Então tenho que fé que, no mínimo, a gente coloque 500 quilômetros de ramais para rodar de inverno a verão. Acabar com essa história de raspar ramal. E se o governo realmente ajudar como foi dito, acredito que podemos chegar ao final deste ano com mil quilômetros de ramal recuperados, porque esse foi o compromisso e a gente vai cumprir.”

Saúde pública

Sobre o funcionamento das unidades municipais de saúde em sua gestão, principalmente durante a pandemia e também diante do aumento do número de casos de dengue, o prefeito disse que vai manter o trabalho que vem sendo desenvolvido.

“Nós precisamos entender que estamos chegando agora e não vamos chegar desmanchando tudo, vamos dar continuidade ao projeto que já estava aí e nossa equipe tomando pé verdadeiramente da situação, aí sim vai fazer as alterações conforme necessário. Na verdade, a gente precisa melhorar o atendimento à saúde, o grande reclame durante as eleições foi exatamente essa questão da saúde, então precisamos dar solução para isso e nossa equipe está sendo montada agora, vai sentar com as autoridades e encaminhar para que a gente possa melhorar bem a saúde”, afirmou.

Shopping popular e auditoria na prefeitura

O novo prefeito também falou sobre o Aquiri Shopping, que foi inaugurado e aberto ao público no último dia 30 de dezembro na capital, após seis anos de obras e atraso na entrega. Pelo menos 480 camelôs que trabalhavam no Calçadão da Benjamin Constant foram transferidos para o local.

Ao ser questionado por um telespectador do Bom dia Acre sobre o que vai ser feito com as pessoas que não conseguiram um ponto no shopping popular, Bocalom disse que vai trabalhar com o diálogo para tentar resolver a situação.

“Ali realmente acho que ficou menos de 500 agraciados e a gente sabe que tem mais de 100 que estão aguardando. Acontece é que foi feito esse primeiro trabalho, o cadastramento do grupo que não recebeu um ponto também já existe e o que vai acontecer é que vamos dialogar muito com todos. É o que sempre falei, nós precisamos deixar o povo trabalhar.”

Assim como falou durante a campanha, o prefeito voltou a dizer que vai fazer uma auditoria na prefeitura para não assumir nada de “errado” que possa ter sido feito na gestão anterior.

“A auditoria é necessária, porque são tantos contratos em vigência e não foi nossa equipe que assinou ou licitou. Então, vai ser feita auditoria, se tiver alguma coisa errada, vamos parar o contrato e buscar um outro caminho. Se a auditoria mostrar que o contrato está correto, vamos dar sequência no contrato. Mas deixar de fazer auditoria não podemos, porque se tiver coisa errada que vem da gestão passada, nós vamos ter que assumir e isso não vou.”

Imigrantes

Sobre os imigrantes que estão em Rio Branco, o prefeito afirmou que a assistência vai continuar sendo disponibilizada pela prefeitura. A maioria dos imigrantes que estão no estado é venezuelano. Eles vêm por meio da fronteira do estado com o Peru.

“Vamos continuar dando assistência, porque são seres humanos e infelizmente correm do comunismo implantado por lá e nós temos a obrigação de ajudá-los. Evidentemente que temos que nos concentrar muito mais no nosso povo que já mora aqui e que está sofrendo, mas precisamos de uma forma humana ajudar a todos”, concluiu o prefeito.

G1 – AC

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

OMS: mundo entra em 2021 com recorde de quase 14 mil mortes em 24 horas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou nesta sexta-feira 13.997 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas em todo o mundo, o recorde diário desde o início da pandemia. Com isso, o total de óbitos desde que a crise global de saúde começou chegou a 1,8 milhão. EFE Acessos 67