Operação do MP e PM cumpre 20 mandados judiciais contra organizações criminosas no AC

RN7
0 0

A Operação Ghidorah, deflagrada pelo Ministério Público (MP-AC) e Polícia Militar do Acre (PM-AC), cumpre 20 mandados judiciais nesta terça-feira (23) em cinco cidades do estado. As ações são coordenadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Os alvos são integrantes de três organizações criminosas que atuam no estado. Dos 20 mandados judiciais, dez mandados são de prisão e dez de busca e apreensão, cumpridos nas cidades de Rio Branco, Senador Guiomard, Feijó, Tarauacá e Rodrigues Alves, além de um integrante do Mato Grosso do Sul.

Alguns dos alvos estão envolvidos em tráfico de drogas e crimes contra o patrimônio na Região do Juruá, segundo o MP.

A operação, segundo o membro do Gaeco, Bernardo Albano, é uma das primeiras ações após um termo de cooperação assinado entre MP e PM para operação no estado.

“Nessa operação, tivemos alvos do PCC, Bonde dos 13 e Ifara, que são facções conexas no estado. Essa investigação durou cinco meses e iniciou a partir de um compartilhamento de provas depois de uma prisão em Guarulhos, em SP. Essa informações foram repassadas e eram planilhas que continham ajuda financeira tanto de integrantes do PCC, como de facções aliadas”, explica o promotor.

Conselheiros

As investigações, segundo o promotor, revelaram ainda dados de um conselheiro que recebia mensalmente ajuda financeira no estado.

“Conseguimos desarticular conselheiros da Ifara, liderança do Bonde dos 13 e integrantes que tinham funções gerais do PCC, como de um conselheiro que tinha a atribuição de gerenciar todas as mulheres faccionadas, e conseguimos chegar à autoria de um homicídio no Belo Jardim, que já foi responsabilizado no decorrer dessa operação”, destaca.

O promotor disse ainda que as investigações continuam e o material apreendido deve apontar ainda mais integrantes das organizações criminosas.

“A gente ainda está tendo retorno das equipes, são informações que mostram o funcionamento dessas organizações no estado. Esse material vai ser posteriormente analisado e logo identificaremos outras pessoas dessas organizações através dessas provas”, finaliza.

Ghidorah

A Operação Guidorah contou com o efetivo de 63 policiais que atuaram junto ao Gaeco. O nome da operação faz referência a uma figura da mitologia japonesa, representada por um dragão de três cabeças, e foi escolhido porque visa atingir o núcleo de três facções aliadas.

Uma coletiva para mais informações está marcada ainda para a manhã desta terça no Comando da PM.

G1 – AC

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

Vereador de Manaus é investigado pelo MP-AM por suposta prática de rachadinha

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) abriu procedimento preparatório para investigar a suposta prática de “rachadinha” no gabinete do vereador Rosivaldo Cordovil (PSDB), membro da Comissão de Transportes da Câmara Municipal de Manaus (CMM). A medida foi publicada por meio de portaria no Diário Eletrônico do MP-AM da última sexta-feira […]