Preso que participou de fuga em massa há 4 meses no AC é recapturado com armas e drogas

RN7
0 0

A Polícia Civil do Acre conseguiu prender mais um foragido da fuga em massa registrada em janeiro no Complexo Prisional Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco. Saymon Wallace Fonseca do Nascimento foi recapturado na manhã desta segunda-feira (15) no bairro Santa Inês, na capital acreana.

Na casa em que Nascimento estava a polícia achou drogas, duas armas com munições, sendo uma delas com a numeração raspada, uma pistola 9 milímetros, câmeras de segurança e uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do estado do Rio de Janeiro.

Nascimento foi um dos 26 presos que fugiram da unidade no dia 20 de janeiro. Além dele, outros 20 já haviam sido capturados após a fuga em massa e levados de volta para a penitenciária. Seis detentos seguem foragidos.

A ação foi desenvolvida pelo Núcleo de Capturas (Necap), Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

Ao G1, o delegado Pedro Buzolin, que coordenou a operação, disse que Nascimento é investigado também por participar de dois homicídios desde que fugiu do presídio.

“A gente vinha monitorando ele para realizar a captura. Foi preso em flagrante por porte de arma e tráfico de drogas, mas já responde processo por roubo e homicídio. Inclusive, já responde por dois homicídios”, destacou.

Para não atrapalhar as investigações, a polícia não detalhou em quais assassinatos Nascimento é investigado.

Fuga em massa

Os detentos fugiram do pavilhão L, onde cumpriam pena em regime fechado. A fuga ocorreu após um fim de semana violento com sete execuções na capital. Um vídeo mostra o momento exato em que os 26 presos escalaram o muro e deixaram a unidade.

Para escapar do presídio, eles fizeram um buraco na parede da cela e improvisaram cordas com lençóis. Os presos são da facção criminosa denominada Bonde dos 13, aliada ao Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua em vários estados brasileiros.

O Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um procedimento administrativo para investigar as fugas no FOC. O promotor Tales Tranin acompanha as investigações das Polícias Civil, Militar e do Iapen-AC para saber se houve facilitação de algum servidor público nas fugas.

Em , publicada no dia 21 de abril, o MP-AC afirmou que as investigações seguem, mas de forma lenta devido à pandemia do novo coronavírus, que reduziu o número de servidores e atendimentos. Um relatório na época mostrou que houve falha na comunicação e no sistema de monitoramento.

G1 teve acesso a um levantamento da sentença dos 26 presos que fugiram do FOC. Somadas, as penas dos detentos ultrapassam mil anos. Entre os crimes praticados estão: roubo, furto, homicídio, corrupção de menores, latrocínio, tráfico de drogas, tentativa de homicídio, entre outros.

Presos que seguem foragidos:

**Valber de Aguiar Morais

**Dheyci Angelo de Lima E Lima

**Ariclene Firmino da Silva

**José Valdenes Viana da Silva

**Francisco dos Santos Braga

**Ezimar Menezes Teixeira

G1 – AC
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

Hospital de campanha de Manaus encerra atividades após dois meses, e prefeitura fala em redução de novos casos de Covid-19

Pouco mais de dois meses após a sua inauguração, o hospital de campanha municipal de Manaus vai deixar de atender novos pacientes a partir desta segunda-feira (15). O anúncio foi feito pelo prefeito Arthur Neto, que embasou a decisão “na redução de casos da doença na capital”. Manaus concentra, até a […]