Clubes não se entendem e volta do Campeonato Carioca segue incerta

RN7

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e os 12 clubes participantes da Série A seguem discutindo a possibilidade de retorno do Campeonato Carioca. Nesta segunda-feira (15), em teleconferência que seguiu até a madrugada desta terça, não houve consenso sobre o retorno imediato da competição. Ainda sem treinos presenciais, Botafogo e Fluminense defendem que a bola volte a rolar apenas em julho. O Ministério Público reforçou a recomendação para que a competição só recomece em condições específicas.  As discussões seguem na noite desta terça.

O presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej Filho, não escondeu o descontentamento. “É uma decisão de profunda desconexão com a realidade. Infelizmente, a maioria dos clubes no Arbitral entendeu ser o momento de voltar a disputar jogos, a despeito do cenário caótico vivenciado. Fomos contrários. Além disso, a preparação física, após longo período sem contato com bola, precisa de um trabalho adequado. Acionei o Departamento Jurídico assim que acabou o Arbitral. O Botafogo vai buscar defender os seus interesses, caso as datas apresentadas sejam confirmadas. O futebol impacta sobremaneira a vida das pessoas e a mensagem para a sociedade que se deveria passar, neste momento, não é de competição ou disputas”, afirma Mufarrej.

Apesar das flexibilizações da Prefeitura do Rio e do governo estadual, a Ferj sugeriu datas e espera o parecer oficial das secretarias de Saúde sobre o protocolo Jogo Seguro, desenvolvido com a participação de infectologistas e dos médicos dos clubes. Na reunião de ficou decidido que as equipes poderão fazer até cinco substituições, recomendação feita pela Fifa e já adotada em algumas ligas europeias com o objetivo de evitar lesões nos jogadores, após longo tempo de inatividade.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) recomendou novamente à Ferj, à Prefeitura e ao governo estadual que não retomem o Carioca. “Ainda que sem público nas praças esportivas, na atual ‘situação de emergência em saúde’ em que se encontra o Município do Rio de Janeiro, diante do congraçamento típico dos eventos desportivos, fatalmente incentivará a aglomeração de pessoas no entorno dos estádios e a quebra das regras de isolamento social e de prevenção à covid-19”, diz a entidade, em nota oficial. Segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado nesta segunda, há 80.946 casos confirmados e 7.728 óbitos por covid-19 no estado do Rio de Janeiro.

 

CAPITAL NEWS

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Máscaras serão obrigatórias a partir de sexta em Campo Grande para conter avanço do coronavírus

O prefeito de Campo […]