Combinação de chuva e ventania provoca maior número de quedas de árvores

RN7

Um dos maiores temores de quem não gosta do frio é não só as baixas temperaturas, mas, os fenômenos meteorológicos que a estação traz consigo, como altas rajadas de vento, por exemplo. Aliada à chuva, a ventania forte pode causar muito estragos e facilitar a queda de árvores.

Para prevenir que a queda dessas árvores sobre a rede elétrica, provocando a interrupção do fornecimento de energia, equipes da Energisa atuam preventivamente com o plano de manutenção e poda em todo estado.

“O cronograma do plano é anual, mas trabalhamos constantemente para efetuar as podas de árvores – com segurança e equilíbrio com o meio ambiente – em todas as regiões da cidade. Importante destacar que em períodos chuvosos a população fique mais atenta ao se deparar com uma árvore caída, seja sobre a rede elétrica ou calçadas, pois a árvore pode esconder um fio de energia e ocasionar um grave acidente. Orientamos que sempre mantenham distância e acionem ou a Energisa ou o Corpo de Bombeiros dependendo do caso”, explicou o coordenador de Construção e Manutenção, Alécio Almeida Leite.

Capital registrou 13 quedas de árvores na última chuva. — Foto: Divulgação
Capital registrou 13 quedas de árvores na última chuva. — Foto: Divulgação

Há uma semana, quando a última chuva e ventos de até 60 km/h foram contabilizados em Campo Grande, o Corpo de Bombeiros disse que houve a queda de 13 árvores.

“As pessoas devem ligar no 193 e acionar a corporação, no caso da queda da árvore na calçada, no muro ou em cima de um carro, por exemplo. Se o vegetal caiu e está apenas obstruindo a via, o serviço deve ser realizado pela prefeitura. Agora, se atingir a rede elétrica, quem faz a supressão é a Energisa para que os eletricistas da concessionária desliguem a rede ou atuem em linha viva (com a rede energizada) e nós retiramos”, afirmou o tenente-coronel Fernando Carminati.

Galhos Podres x Temporal

O biólogo e doutor em ecologia, Ademir Morbeck, disse que uma característica da capital sul-mato-grossense é a grande quantidade de árvores, muitas delas centenárias. No entanto, ele ressalta que não existe um estudo que cataloga a idade delas e, desta forma, muitas envelhecem, ficam com galhos podres ou então são vítimas de “podas erradas” – realizadas sem instrução pela população, o que ocasiona a queda na combinação de chuva e ventania, por exemplo.

“Muitas árvores – nestes casos – ficam com os galhos podres, possuem fungos e o sistema radicular (raízes) é afetado. Outras são cortadas para a passagem do asfalto ou construção de calçadas. Desta forma, facilita a entrada de insetos, cupins, raízes podres e, consequentemente, a queda”, alertou.

Chuva aliada ao vento facilita a queda de árvores. — Foto: Divulgação
Chuva aliada ao vento facilita a queda de árvores. — Foto: Divulgação

Outro problema, ainda conforme o biólogo, são as podas feita de forma errada. “A pessoa corta demais os galhos da esquerda ou direita e a árvore então perde o equilíbrio. Daí a chuva, aliada ao vento, mais uma vez, provoca a queda. Quem faz essa poda errada não respeita raízes, troncos e são diversos os problemas que encontramos”, comentou.

Quedas de árvores – quem acionar?

Energisa: Árvores em contato com a rede elétrica – 0800 722 7272

Corpo de Bombeiros: Árvores sobre carros ou em contato com muros, casas e comércios – 193

Prefeitura: Árvores que estão em logradouros públicos, calçadas, canteiros, parques, a prefeitura é a responsável por executar a intervenção. Semadur (67) 3314-3514 / 3314-3515

G1 – MS

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Em 1 mês na Justiça, Mendonça foi mais prestigiado que Moro por Bolsonaro

André Mendonça assumiu o Ministério da […]