AM fecha abril com menos 8.583 postos de trabalho, aponta Caged

RN7

O Amazonas fechou o mês de abril com menos 8.583 empregos formais no Amazonas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgados nesta quarta-feira (27). A queda no número de contratações, em relação ao ano anterior, contribuiu de forma expressiva para o saldo negativo de empregos formais no período, segundo o levantamento.

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, avaliou que o Caged revelou “números duros” e que “reflete a realidade de pandemia que vivemos” no país.

O levantamento aponta que no Amazonas, abril teve uma variação negativa de 2,07%, no número de admissões e demissões.

De acordo com os dados do Caged, em abril de 2020, houve 5.709 admissões e 14.292 demissões no Amazonas. No mesmo mês, em 2019, o Caged registrou 11.708 admissões e 10.065 demissões, com um saldo positivo de 1.643. A diferença foi de 51,3% no número de admissões e 42% no número de demissões no estado.

Resultado de abril de 2020
5.709 admissões
14.292 demissões
Nos primeiros quatro meses do ano, os dados do Caged apontam que o Amazonas teve saldo negativo de 9.010 postos de trabalho com carteira assinada, resultado de 45.869 admissões e 54.879 demissões. O saldo de empregos formais nos quatro primeiros meses do ano teve queda de 2,18%, entre janeiro e abril de 2020.

Acumulado do ano de 2020
45.869 admissões
54.879 demissões
Fechamento de comércio
Em 23 de março deste ano, o governo decretou estado de calamidade pública no estado e impôs o fechamento do comércio, como medida de prevenção ao novo coronavírus. Entre as medidas, o Governo anunciou o fechamento de estabelecimentos comerciais e de lazer.

Na ocasião, o governador Wilson Lima informou que apenas estabelecimentos de serviços básicos ficam mantidos abertos, como supermercados, farmácias e padarias.

A medida gerou fechamento de empresas como a de jardinagem em que Eduardo Borges dos Santos, de 51 anos, trabalhava. Em busca de emprego, ele informou ao G1 no dia 15 de maio, que caminha cerca de 10 horas todos os dias em busca de um trabalho: “Fé que vai passar. Somos povo guerreiro, trabalhadores”, disse.

Cenário no Brasil
A economia brasileira fechou 1,1 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada entre os meses de março e abril.

Os números, do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), são os primeiros a trazer o retrato do impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado de trabalho brasileiro. A pandemia foi decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março. O Brasil registrou a primeira morte pelo vírus no dia 17 de março.

No fim de março, o Ministério da Economia havia suspendido a divulgação do Caged porque empresas haviam deixado de enviar informações, principalmente referentes às demissões de trabalhadores formais, o que poderia comprometer a qualidade dos dados. E pediu que as empresas retificassem e reenviassem as informações.

 

G1 – AM

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Reino Unido registra 412 novas mortes por Covid-19

O Reino Unido registrou […]