Jornal Nacional fulmina Bolsonaro, conta palavrões e comove com covid-19

RN7
0 0

Nesta sexta-feira (22), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello levantou o sigilo da gravação de uma reunião ministerial na qual o Presidente da República, Jair Bolsonaro, insinua uma suposta interferência política sua em investigações da Polícia Federal do Rio de Janeiro. Tal fala custou a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A repercussão do polêmico conteúdo ampliou a expectativa para o Jornal Nacional, da Globo, desta noite.

O JN teve início com uma escalada de quase 4 minutos; mais de 2 deles dedicados às manchetes oriundas dos vídeos. William Bonner surpreendeu, porém, ao citar o caso e mudar de assunto ainda no primeiro logo: “O que aconteceu na reunião de abril, o que foi dito e por quem, você vai ver ainda nessa edição do ‘Jornal Nacional’ que começa com o noticiário sobre o que é mais importante: as vidas em risco na pandemia de coronavírus”.

Enquanto telespectadores acompanhavam o noticiário da Globo comendo pipoca e tomando vinho, a equipe capitaneada por Bonner e Renata Vasconcellos destrinchava o registro, salientando críticas de Bolsonaro aos sistemas de informações do governo federal, as diversas menções à “interferência” e ao destempero no momento em que afirmou que não esperaria “foder” com a família dele para promover trocas na “segurança”.

Ainda, críticas pesadas – usando termos como “bosta” e “estrume” – para governadores e prefeitos, além de posições polêmicas de ministros como Ricardo Salles (Meio Ambiente), Damares Alves (da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) e Abraham Weintraub (da Educação).

O vídeo liberado pelo ministro Celso de Mello tem pouco menos de duas horas. Foi uma coleção de palavrões, vocabulários chulos e desrespeitos com outras autoridades. Pelo menos 37 palavrões foram ditos. Oito pelos ministros. 29 só pelo presidente Bolsonaro, sempre antes de fazer um ataque a governadores, prefeitos ou outros políticos que o presidente considera adversários ou para tentar desqualificar a imprensa”, destacou Renata.

RD1

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

‘Não tá fácil pra ninguém’: Advogada é presa ao sair de mercado sem pagar compras

Foi presa nesta quinta-feira (21), uma advogada de 37 anos, que tentou furtar mercadorias de um hipermercado, na Avenida Mato Grosso em Campo Grande. Ela foi alcançada no estacionamento do mercado pelos seguranças do estabelecimento. O flagrante foi feito através de câmeras de segurança do hipermercado. Um funcionário estava observando […]