‘É um atentado contra liberdade de imprensa’, diz Toffoli sobre execução de jornalista no Paraguai

RN7

O Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Dias Toffoli, disse, durante visita a uma escola pública no bairro Nova Lima, região oeste de Campo Grande (MS), que o assassinato do jornalista Léo Veras é uma tentativa de calar a imprensa, a democracia e os jornalistas. A declaração ocorreu no início da tarde desta sexta-feira (14).

“É um atentado contra liberdade de imprensa”, opinou.

Toffoli chegou a Campo Grande na noite de quinta-feira (13) com a intenção de visitar órgãos do Poder Judiciário e se encontrar com dirigentes dos tribunais das áreas estadual, trabalhista, eleitoral e federal. A viagem é uma iniciativa do ministro que percorrerá todas as capitais do país no intuito de promover o diálogo com magistrados e ampliar a integração do Poder Judiciário.

Em 2020, Dias Toffoli já visitou tribunais em Sergipe e Pernambuco. Mato Grosso do Sul é o 17º Estado a receber a visita e o ministro já esteve em Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

No final da manhã, Toffoli também conheceu projetos sociais desenvolvidos pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS) e pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT/MS), sendo a Escola Estadual Lino Villachá selecionada, já que passou por reforma completa no final do ano passado.

O projeto “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade” é executado e custeado por detentos da cidade e já reformou 11 escolas, por meio de uma parceria entre o TJ-MS e o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Execução

Léo Veras é paraguaio e tem nacionalidade brasileira. Ele tinha um site de notícias em Ponta Porã, cidade que faz fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai, onde é bastante conhecido em Mato Grosso do Sul por seu trabalho. O site dele produzia notícias policiais da região da fronteira em português e espanhol. Frequentemente ele noticiava situações relacionadas ao tráfico de drogas.

De acordo com a Polícia Nacional do Paraguai, Léo foi atingido por cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros. Um dos disparos acertou a cabeça dele no momento em que ele tentou correr dos assassinos. O jornalista chegou a ser socorrido e encaminhado para um hospital particular da cidade paraguaia, mas não resistiu.

Segundo a ocorrência, Léo estava jantando com a família no quintal de sua casa. Por volta das 21 horas, dois pistoleiros encapuzados chegaram em uma caminhonete branca, entraram pelo portão que estava aberto e invadiram o local. Eles direcionaram os disparos contra o jornalista e foram atrás dele quando Veras tentou correr para a rua.

promotor paraguaio responsável pelo caso, Marco Amarilla, informou ao G1 que apurou que o jornalista vinha sofrendo ameaças. Nos últimos dias, segundo o promotor, Léo Veras estava com medo. A esposa dele, Cinthia Veras, falou que achou que o marido estivesse brincando, quando comentou sobre o fato dela ficar sozinha.

G1 – MS

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Irmã de Ilderlei Cordeiro é presa; Polícia Federal diz que ainda há mandados em aberto

A advogada Idelcleide Cordeiro, […]