Pretensões de aliados mexem com o tabuleiro político no interior de MS

RN7

Amigos, amigos, negócio à parte. Tem sido assim a movimentação política nos bastidores e até nas manifestações públicas entre partidos e lideranças aliadas ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no interior de Mato Grosso do Sul.

Em Dourados, por exemplo, maior colégio eleitoral do interior do Estado, PSDB e DEM tanto podem se enfrentar nas urnas em 4 de outubro quanto subirem no mesmo palanque, dependendo dos encaminhamentos políticos.

O jogo de interesse no município envolve, além da prefeita Délia Razuk (PTB), que pode tentar à reeleição, os deputados estaduais José Carlos Barbosa (DEM), popularmente chamado de Barbosinha, Marçal Filho (PSDB), aliados do governo, e Renato Câmara (MDB), ligado ao ex-governador André Puccinelli.

Ontem, durante entrevista de rádio na cidade, Barbosinha, disse que Dourados precisa recuperar o protagonismo em Mato Grosso do Sul.

Barbosinha revelou que costura acordos e quer, inclusive, os colegas Marçal Filho e Renato Câmara em seu projeto rumo à prefeitura local.

Na entrevista ao radialista Antônio Coca, no programa Noticidade da rádio FM101, o deputado disse que a viabilização do projeto de candidatura a prefeito nas eleições de outubro deste ano “é uma construção que envolve a participação de todos os partidos”.

“Estamos conversando com todas as forças organizadas, porque essa é uma construção que não se pode fazer de forma isolada. Dourados precisa recuperar o protagonismo”, sugeriu o parlamentar., segundo o portal DouraNews.

Ele garante que sua pré-candidatura conta com o aval das principais lideranças do DEM, como o deputado estadual Zé Teixeira, o vice-governador Murilo Zauith, os ministros Mandetta (Saúde) e Tereza Cristina (Agricultura).

A estratégia do democrata é garantir também o apoio do governador Reinaldo Azambuja, de quem é líder do governo na Assembleia Legislativa, embora a orientação da cúpula nacional tucana é lançar candidatos próprios nas capitais e em cidades estratégicas.

Na entrevista, Barbosinha lembrou que o município perdeu o único deputado federal que tinha [Geraldo Resende (PSDB), hoje secretário estadual de saúde] e que os inúmeros problemas verificados, na gestão administrativa da cidade, ele debate também com o deputado Neno Razuk, filho da prefeita Délia, que está terminando o mandato, “invocando para essa responsabilidade de todos”.

Ainda segundo a publicação, o deputado disse que, no primeiro ano deste segundo mandato na Assembleia, como líder do governo, teve a oportunidade de fazer o contraponto, buscar o equilíbrio com todas as forças políticas e agora está deixando a função para “buscar o diálogo com as forças de Dourados e construir um projeto de gestão com a marca da experiência”.

Nesse caso, lembrou que já foi prefeito aos 25 anos de idade, passou pela Sanesul por sete anos, saneando as finanças e reerguendo a empresa, e pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública, onde diz ter construído um dos maiores programas de segurança do Estado.

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Aras anuncia Lindora Araújo como nova coordenadora da Lava Jato na PGR e amplia grupo

O procurador-geral da República, […]