Estadual 2020 – Bicampeão Estadual, Serc segue com filosofia “pés no chão”

RN7
0 0
competição.

Após ausência em 2008, a Serc tem disputado todos os anos as competições profissionais. Foi campeão da Série B em 2009 e 2014 e vice em 2018.

Na Série A, em 2010 esteve pela última vez na semifinais quando caiu nos pênaltis para o Naviraiense. No ano seguinte, não passou da 1ª fase e em 2012, caiu nas quartas de finais para o futuro campeão Águia Negra.

Em 2013 foi rebaixado e no retorno em 2015, teve a melhor campanha em seu grupo mas caiu nas quartas de final para o Corumbaense, na reedição da final da Série B de 2014.

Em 2016, voltou a ser eliminado nas quartas de final e foi rebaixado mais uma vez em 2017 e ano passado caiu novamente nas quartas de final para o Águia Negra que seria mais uma vez campeão.

Tem estádio próprio e ao lado do Águia Negra, são os únicos clubes do estado na Série A nesse quesito. Porém, jogar em casa tem sido um problema para o tricolor.

São apenas três vitórias no últimos 16 jogos pela Série A em Chapadão do Sul. Ano passado pelo Sub-19, o time perdeu o título e a classificação para Copa SP em derrota para o União por 1 a 0.

A comissão técnica será composta por três ex-jogadores do clube. Odirley Lage volta para seu terceiro trabalho. Em 2016 evitou o rebaixamento mas em 2017 não conseguiu salvar o time.

Rodrigo Azevedo técnico em 2019 será Gerente de Futebol e Aguiar, técnico do Sub-15, o auxiliar. A estreia será dia primeiro contra o Aquidauanense.

Jogadores conhecidos voltam ao clube como o goleiro Renan, Maílson, Fábio Buru e Trindade.  Outros da base do clube farão parte do elenco.

A estreia em casa será dia cinco contra o Operário e o clássico com o Costa Rica dia 22 também em Chapadão do Sul.


FFMS

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

Next Post

Substância tóxica contaminou mais seis marcas de cerveja da Backer

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) identificou a presença de monoetilenoglicol e de dietilenoglicol em mais seis marcas de cervejas produzidas pela mineira Backer, totalizando oito rótulos contaminados da mesma fabricante. Além dos já divulgados três lotes de Belorizontina, que no Espírito Santo é comercializada com o rótulo […]