Suspeito pelo ataque ao Porta dos Fundos é ligado à esquerda e tem interesse pelo islamismo

RN7

Eduardo Fauzi, o homem identificado pela Polícia como organizador do atentado contra a sede do Porta dos Fundos na véspera do Natal, fugiu para Rússia após o início das investigações sobre o incidente.

O delegado Marco Aurélio de Paula Ribeiro comanda a investigação, que avançou rapidamente por conta de um deslize do suspeito: ele não usava máscara ou capuz como os demais comparsas no ataque à sede do Porta dos Fundos.

Para Ribeiro, há muitas possibilidades em aberto: “Nenhuma linha de investigação está sendo descartada. Ao longo das investigações, nós iremos tentar apurar se há um ato isolado de pessoas que possuem pensamentos próprios, doutrinas próprias ou se há alguma ligação com alguma associação, com alguma entidade”, afirmou o delegado.

De acordo com informações do Jornal Nacional, Eduardo Fauzi Richard Cerquise estava dirigindo o carro usado na fuga após o ataque. Ele é filiado ao PSL desde 2001, período anterior à filiação do grupo ligado ao presidente Jair Bolsonaro desembarcar na legenda.

O ataque atribuído a Fauzi – que já possui outras passagens pela Polícia – foi motivado pelo teor do Especial de Natal que os humoristas publicaram na Netflix. A Primeira Tentação de Cristo apresenta um Jesus homossexual e faz insinuações sobre um comportamento promíscuo de Maria.

Ligações com a esquerda

No Twitter, o blogueiro Fabrício Rezende publicou um vídeo de 2013 em que manifestantes de esquerda pedem a soltura de black blocs, incluindo Eduardo Fauzi. Após a divulgação de um vídeo com a leitura de um manifesto sobre o atentado de dezembro, a Frente Integralista Brasileira expulsou o acusado de seus quadros.

Dentre os itens apreendidos pela Polícia na casa de Eduardo Fauzi estão R$ 119 mil, duas armas de brinquedo, facas e livros de religião e filosofia, como o Alcorão, Por Dentro da Jihad e Putin vs Putin, escrito por Alexander Dugin, um dos colaboradores do programa de governo do Partido Comunista da extinta União Soviética.

Esses indícios e a fuga de Eduardo Fauzi para a Rússia, no dia 29 de dezembro, em um voo da AirFrance com destino a Moscou e uma escala em Paris, sugerem que o atentado contra o Porta dos Fundos não foi motivado por ideologia política de direita ou intolerância de cristãos.

Imagens das câmeras de segurança do aeroporto Internacional Tom Jobim, na zona norte do Rio de Janeiro, mostraram o suspeito embarcando um dia antes da expedição do mandado de prisão. Ele tem uma namorada russa, e somente em 2019 fez três viagens ao país.

O protesto mais duro enfrentado pelo Porta dos Fundos e a Netflix contra o filme A Primeira Tentação de Cristo ocorreu de forma pacífica: abaixo-assinados online. O mais popular dele soma 2,3 milhões de assinaturas pedindo que a empresa retire de seu catálogo o conteúdo do Especial de Natal da produtora carioca.

Gospel +

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Preço da carne cai para o consumidor, diz Ministério da Agricultura

O Ministério da Agricultura, […]