Mães presas ganham direito de passar o dia com os filhos

RN7

Vinte reeducandas da unidade feminina do presídio Francisco de Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, puderam rever seus filhos nesta quarta-feira, 18, por meio do projeto “Abraçando Filhos”, realizado entre o governo do Acre e o Tribunal de Justiça do Estado. O presídio não dispõe de um lugar apropriado para receber as famílias, por isso, algumas detentas preferem não ter contato com os filhos no ambiente prisional – para evitar constrangimento a eles, e acabam passando anos sem ver as crianças ou adolescentes.

Pensando nisso, a unidade resolveu aderir eventos que promovam o contato entre as reeducandas e os filhos. “É importante demais pra elas, já que esperam o ano todo por isso e para nós também do sistema prisional, em promover ressocialização, oportunidades, esperança de um futuro melhor pra elas”, disse o diretor da unidade, Marcelo Gomes.

Esta foi a segunda edição do projeto, que, segundo o governo, vem tentando transformar a realidade do sistema prisional do Acre. “É a segunda vez que tenho a oportunidade de ver meus filhos este ano, graças a eventos como este”, disse a reeducanda Saionara Castro, de 28 anos.

Vinte reeducandas da unidade feminina do presídio Francisco de Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, puderam rever seus filhos nesta quarta-feira, 18, por meio do projeto “Abraçando Filhos”, realizado entre o governo do Acre e o Tribunal de Justiça do Estado. O presídio não dispõe de um lugar apropriado para receber as famílias, por isso, algumas detentas preferem não ter contato com os filhos no ambiente prisional – para evitar constrangimento a eles, e acabam passando anos sem ver as crianças ou adolescentes.

Pensando nisso, a unidade resolveu aderir eventos que promovam o contato entre as reeducandas e os filhos. “É importante demais pra elas, já que esperam o ano todo por isso e para nós também do sistema prisional, em promover ressocialização, oportunidades, esperança de um futuro melhor pra elas”, disse o diretor da unidade, Marcelo Gomes.

Esta foi a segunda edição do projeto, que, segundo o governo, vem tentando transformar a realidade do sistema prisional do Acre. “É a segunda vez que tenho a oportunidade de ver meus filhos este ano, graças a eventos como este”, disse a reeducanda Saionara Castro, de 28 anos.

 

“Essas mães estão separadas de seus filhos por terem cometido delitos em algum momento de suas vidas. Isso traz uma ausência, uma ruptura dos vínculos familiares e, para resgatar isso, nós promovemos esse encontro através do projeto ‘Abraçando Filhos”, destacou a desembargadora do TJ-AC, Regina Ferrari.

A secretaria de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres (SEASDHM) e uma comissão da Ordem dos Advogados do Brasil arrecadaram brinquedos que, durante o encontro, foram entregues às crianças, além de produtos de higiene e fraldas descartáveis.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

Next Post

Governo injeta R$ 376 milhões no comércio com 13º salário dos servidores

Servidores estaduais de Mato […]