MS: Giroto e Amorim podem ser presos a qualquer momento após decisão da Justiça

Após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (7), a superintendência da Polícia Federal de Campo Grande já está com a ordem de prisão de Edson Giroto, João Amorim e mais seis envolvidos na Operação Fazendas de Lama, que podem ser detidos a qualquer momento ou se apresentarem voluntariamente.

O novo pedido de prisão veio da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, por meio de uma “reclamação”, alegando que a decisão do Tribunal Regional Federal 3ª Região (TRF3), que mandou soltar os envolvidos, contradizia o pedido anterior, feito por ela.

Além de João Amorim e Giroto, também devem ser presos Flavio Schrocchio, Wilson Roberto Mariano, Rachel Giroto, Ana Paula Amorim, Mariane Mariano e Elza Cristina Araújo. Em março, quando todos foram detidos pela última vez, as mulheres ficaram em prisão domiciliar, enquanto os homens foram para o Centro de Triagem, no Complexo Penitenciário da Capital. Dez dias depois a Justiça acatou o pedido de habeas corpus das defesas e soltou os envolvidos.

A segunda fase da Operação Lama Asfáltica, chamada Fazendas de Lama e deflagrada em 2016, teve como foco o crime de lavagem de dinheiro, pois investigados teriam ocultado patrimônio decorrente de fraudes em licitações.

O grupo fraudava certames, pagava às empreiteiras – uma delas a Proteco, de João Amorim – por serviços não executados ou feitos com qualidade inferior ao contratado. O dinheiro arrecadado com os crimes era usado para compra de fazendas e imóveis urbanos em nome de familiares e pessoas de confiança dos envolvidos.

Fonte: C.E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.