Rio Branco-AC: Movimento de dança é homenageado pela Câmara

A Câmara convidou os protagonistas do 4º Fórum de Dança do Acre para celebrar o Dia Mundial da Dança, data que caiu no último domingo, dia 29. O Ato solene encerrou a sessão desta quarta-feira (2), com a presença da Associação de Dança do Acre (Asdac) e do Movimento de Dança do Acre (Moda). Os coletivos se mobilizam através das redes sociais e executam ações colaborativas nas periferias do estado, que atraem principalmente a juventude.

O evento que está em evidência até sábado (5) é resultado direto dessa articulação. As atividades são gratuitas e ocupam diversos espaços histórico-culturais, com mesas-redondas filosóficas, debates sobre produção e políticas públicas, espetáculos brasileiros e da região de fronteira, oficinas técnicas de capacitação e aulas para a comunidade.

“A dança cumpre um papel extraordinário nas nossas periferias e se faz presente como instrumento de paz, reflexão e união. É uma das expressões artísticas mais organizadas da nossa cidade, ao ponto de ter força política suficiente para pautar as gestões municipal e estadual”, explica o vereador Rodrigo Forneck (PT/AC), autor da homenagem.

O movimento se fortalece da margem social em direção ao centro e não elitizado como era anos atrás. “A gente nota isso ao ver o trabalho que é feito na Cidade do Povo pelo professor Peba, na Concha Acústica Jorge Nazaré pela turma do Lambada, no São Francisco pela Thioci Souza e o grupo Ceja Forrozeiro. E ainda temos os exemplos da Liga de Quadrilhas Juninas do Acre (Liquajac) e dos blocos de Carnaval, além da luta do Conselho Estadual de Cultura (Concultura) e da Associação de Dança do Acre”, comenta Forneck.

Participação popular

O parlamentar diz que a contribuição do mandato para os agentes da arte está na Casa do Povo, desde o mês de abril, e já recebeu apoio tanto da base quanto da oposição. Trata-se de uma resolução para criar a Comissão Permanente de Cultura (CPC). “Construímos a proposta após muitas conversas com os grupos culturais e por entendermos que o patrimônio histórico também precisa de atenção garantida, seja tombado ou não pelo poder público”.

Hoje, as pautas culturais seguem direto para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final e, em seguida, a matéria vai à plenária para votação. Porém, sem a oportunidade de debates abertos. Com a comissão instalada, a cultura e as políticas públicas vão poder ser desenvolvidas de perto pelos moradores de Rio Branco. E outro ponto positivo é que o movimento artístico-cultural deve ganhar uma referência na Câmara para apresentar as demandas do setor.

Assessoria Parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.