Alvo da Operação Homem de Ferro em Ponta Porã, assaltante não foi encontrado

Um dos alvos da Operação Homem de Ferro, deflagrada nesta manhã pela Polícia Civil de São Paulo, contra quadrilha que assaltou  R$ 10 milhões de empresa de valores em Araçatuba (SP), poderia estar escondido em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai. Porém, durante cumprimento de mandados, policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira (Defron), que prestaram apoio aos colegas de São Paulo, não conseguiram localizá-lo.

Segundo o delegado João Alves de Queiroz, titular da Defron, os policiais fizeram buscas em pelo menos seis endereços, mas não encontraram o suspeito. “Nem objetos relacionados ao roubo foram encontrados. Conforme cruzamento de informações, foi constatado que ele não estaria mais residindo nos locais por onde passamos. Agora vamos encaminhar relatório ao delegado responsável”, disse João.

Conforme relatado, a Operação tinha alvos, além de São Paulo em Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí e Minas Gerais. Outros mandados foram cumpridos na Grande São Paulo, Campinas, Piracicaba, Rio Claro, Presidente Prudente e penitenciárias, incluindo também a cidade de Araçatuba.

No dia 16 de outubro do ano passado, aproximadamente 30 criminosos roubaram R$ 10 milhões da empresa Protege. Eles bloquearam a saída de viaturas da Polícia Militar usando veículos incendiados, bem como atiraram na direção do quartel, a fim de evitar a saída dos militares.Tudo isso era feito enquanto outro grupo explodia o prédio da empresa com dinamites, para arrombar os cofres. Na fuga, balearam um policial civil e roubaram um caminhão para bloquear a via. As investigações duraram nove meses.

Correio do Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.