MS zera déficit de delegados com nomeação dos aprovados em concurso

A nomeação de 72 novos delegados vai acabar com o déficit desses profissionais e reforçar a segurança pública no interior de Mato Grosso do Sul. O objetivo é reforçar a segurança na faixa de fronteira e também a prevenção da violência contra mulheres, crianças e adolescentes.

O delegado-geral da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Marcelo Vargas, explica que todos os 72 alunos que integram o 8º Curso de Formação de Delegados da Polícia Civil serão lotados para o interior do Estado. A prioridade é transferi-los para as 27 cidades que não possuem delegados. Os municípios que possuem apenas um delegado também irão receber um segundo integrante.

A presença dos delegados tem a intenção de reforçar a segurança pública no Estado. “A presença de um delegado no município tem impacto na referência de justiça da população. Só a prevenção por si só não consegue inibir o crime. A gente só consegue formalizar os atos da polícia judiciária com a presença do delegado. Nas cidades que não possuem delegados é necessário que a Polícia Militar se desloque para o município vizinho”, diz.

Para o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, o novo efetivo será um reforço aos municípios que estão sem delegado de polícia ou que precisam da ampliação do quadro.

“A designação dos novos delegados é muito aguardada. A gente destaca a decisão do governador Reinaldo Azambuja, mesmo em um período difícil, ter a atitude de nomeá-los e contemplar os municípios”, declara.

Dos 72 delegados, 15 são mulheres. Segundo o delegado-geral, as delegadas irão para municípios com o objetivo de reforçar o combate a crimes contra as mulheres e também contra crianças e adolescentes. As delegacias também irão receber o projeto Sala Lilás, em parceria com a Subsecretaria de Estado de Políticas Públicas para Mulheres. A sala Lilás é um ambiente preparado para atender mulheres, adolescentes e crianças de forma exclusiva.

A segurança nos munícios da faixa de fronteira também será reforçada com a presença de aproximadamente 30 delegados. “Todos os municípios da faixa de fronteira vão ter reforço nos atendimentos das delegacias. Com isso, vamos melhorar a elucidação de homicídios na região de fronteira, que são relacionados ao tráfico de drogas”, afirma Vargas.

Treinamento intenso e foco em um novo perfil da Segurança Pública

O 8º Curso de Formação dos novos delegados da PCMS teve início em abril, com duração de 600 horas de aulas em regime integral de segunda-feira a domingo, inclusive nos feriados, com os três turnos e a oferta de aulas teóricas, práticas, operacionais e estágio supervisionado. A turma é formada por graduados em Direito, aprovados no último concurso (2017) e vindos de 14 estados.

A delegada e diretora da Acadepol (Academia de Polícia Civil), Maria de Lourdes Cano, destaca que durante o curso é reforçado o papel da polícia comunitária e do novo perfil de segurança pública.

“A Polícia tem que estar voltada à sociedade. A partir do momento que a polícia está próxima da população passa a ter uma confiabilidade maior no poder público. Os novos delegados aprendem que ninguém faz nada sozinho. Defendemos o trabalho conjunto com as outras instituições e a população”, detalha.

Compondo a turma, Eduardo Ferreira de Oliveira era delegado em São Paulo e decidiu vir para Mato Grosso do Sul. “A Polícia Civil daqui é uma das melhores do País. Sempre escutamos elogios lá em São Paulo. Temos condições de realizar um bom trabalho em prol da sociedade”, conta.

Policial militar há dez anos em Mato Grosso do Sul, Erasmo Bruno de Mello Cubas tinha o sonho de ser delegado no Estado e conseguiu ser aprovado no concurso. “Os 72 delegados estão esperançosos de atender à necessidade do Estado na melhoria de sensação de segurança para a população e resolver as questões administrativas. Está todo mundo motivado para corresponder às expectativas”, completa.

A delegada Nelly Gomes dos Santos Macedo, que fazia parte da Polícia Civil de Goiás, destaca que um dos objetivos é aproximar a polícia da população, levando a sensação de segurança. A delegada também destacou que irão trabalhar para dar maior qualidade no tratamento da violência contra a mulher. “A gente consegue entender e dar um atendimento padrão de qualidade para que elas não sejam vitimizadas novamente”, afirma.

Conjuntura Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: